COLEÇÃO PORÇÃO DA PALAVRA: A ESTAGNAÇÃO

ESTAGNAÇÃO

A estagnação

Em todo o tempo, o inimigo da nossa alma, tentará nos parar, quando estivermos realmente no caminho da promessa de Deus.

Deus nos conduz pelo caminho levando-nos sempre ao bom fim, porém nós muitas vezes nos distraímos e até nos enganamos entre o que é realmente o alvo, e as aparentes iguarias da benção que encontramos no meio ou, durante este caminho, rumo ao objetivo de Deus para nós. Poderia, falar de várias passagens bíblicas que, nos dá exemplos da estagnação (armadilha do inimigo) no território de Deus, mas quero me adeter  no livro de Êxodo capítulo 15 versículo 23 ao 27.

Neste pequeno trecho da Palavra de Deus podemos aprender grandes coisas aplicativas à nossa vida.

O povo estava indo rumo a Canaã, cidade esta, prometida a eles por Deus. Depois de 400 anos escravizados no Egito, o Senhor Deus, escolhendo um homem, no caso Moisés tira este povo de lá, depois de espiritualmente vencerem todos os deuses do Egito que os prendiam.

Logo depois da saída, rumo a terra prometida, passaram pelo mar vermelho, a seco e as águas foram-lhes muro a sua mão direita e à sua esquerda. Depois de tão grande fenômeno espiritual, sentido e vivido na carne, o povo entendeu que a mão forte do Senhor os tinha tirado agora de mais uma prisão, ou limite, “o mar”. O povo temeu ao Senhor pois depois de terem passado, os egípcios entraram pela estrada aberta no meio do mar, mas a mão do Senhor, mostrou-se aos egípcios e as águas voltaram ao seu leito normal, afogou-se sem que um sobrasse, claro, o povo agora acredita com mais segurança no Deus de Israel e no homem que escolherá para os livrar.

Depois Moisés os fez sair dali rumo ao deserto de Sur. Andando três dias queriam o que não tinham; água.

Andando mais um pouco chegaram a um lugar chamado Mara( amargo). Ali havia água; que alegria, mas… as águas tinham a características do nome “eram amargas”. O povo murmura a Moisés e este clama ao Senhor e o Deus de Israel lhe mostra um lenho, ele o joga nas águas.

Enganos…….

Experimenta-as e agora manda o povo beber. Mais um milagre. Deus da leis e estatutos ali para que o povo obedecesse se livrando durante a jornada até Canaã de tudo que o era contrário.

Precisam seguir a jornada mas, como em alguns casos na nossa vida, diante de tão grande livramento, providência e cuidados de Deus vem ou pode ocorrer estagnação.

1º Estagnação – Estamos indo rumo a uma promessa de Deus, a qual não temos muito entendimento, e de repente, diante das faltas neste caminho, vem da parte de Deus uma providência agradável. Neste momento sem que percebemos há uma brecha mortal trazida a luz pela boca. Dizemos: – Será melhor para minha vida ficar por aqui mesmo afinal, Deus (no caso dos israelitas) providenciou a cura das águas, será que é um sinal, devo ficar aqui acho que este é o lugar e assim por diante, estagnação – fico e a promessa é interrompida. Felizmente Moisés naquele caso fecha a brecha, todos levantam suas tendas e começam a andar rumo a Canaã novamente, afinal lá é a promessa. Mas será que diante de situações parecidas não ficamos no meio do caminho? Será que você já parou, estagnado achando que devido aquela benção (providência) é ali o seu lugar. Será que você não está estagnado pela cura das águas e interrompeu a caminhada rumo a promessa na sua vida. Afinal naquele momento você como eles queria água, vêem a água, não pode beber, mas Deus as curou. Realmente pode confundir não? Porém Deus não muda uma promessa com outra. A promessa era de chegar e Canaã e não só até Mara. No seu caso onde você está agora? Num lugar rumo a caminhada, rumo a promessa, parado, confuso acreditando que se Deus deu uma solução é ai o seu lugar?

Não, não é. Lembre-se, o foco no caso dos israelitas era Canaã, e o seu foco, caso não tenha alcançado deve ser através da atitude de recomeçar, aliás Deus proveu a cura daquelas águas justamente para isso, trazer o descanso, refrigério e ensiná-lo agora a caminhar com regras e normas, que obedecidas trariam a vitória a todos eles. Assim também, este lugar que está agora, e que você viu a manifestação da mão de Deus, e o lugar o ajuste para, recomeçar é ir até o foco.

Enganos….

Tanto é que andaram mais um pouco e chegaram a um outro lugar onde havia 12 fontes de água e 70 palmeiras, que maravilha! O povo novamente quase se confundi. Novamente o perigo.

2º Estagnação – Agora Deus dá em abundância o que o povo mais precisava, água muita água e palmeiras para cobri-los do sol. A dúvida: será que Canaã é aqui? Não, não. Canaã é a terra que Deus desse que haveria inimigos a serem vencidos porém é a terra que emana leite e mel. Olha o perigo, de pararmos novamente e ficarmos presos a abastança. Deus prova no pouco, no amargo, na abastança porém quer que cheguemos ai mel (Canaã) “Terra que emana leite e mel” fértil.

Muitas vezes é neste segundo perigo de estagnação que paramos. Algumas vezes por confundirmos, mas na maioria das vezes por comodismo. Se já tem tanta coisa boa, se meus olhos estão vendo a misericórdia e providência de Deus, para que continuar? Lembre-se outra vez – o foco é Canaã. Não podemos admitir que estes dois perigos nos parem, nos estagnem. É maravilhoso ver os escapes de Deus mas a sua vontade não é que paremos e vivamos de escapes, mas sim que cheguemos aos nossos objetivos os quais foram dados por Ele. Quando no caminho o escaldante sol continuo sobre nossas cabeças nos faz parar diante da benção misericordiosa vinda de Deus é necessário que observemos com cuidado a situação, e verifiquemos se esta acontecendo como Deus disse, a respeito da promessa. Se estiver faltando um item, não é ainda a promessa, isso que dizer que não atingimos ainda o nosso foco – a concretização da promessa.

Centenas de pessoas vivem só metade daquilo que Deus um dia lhes prometeu. Isso por causa da falta de entendimento dos perigos da estagnação.

O apóstolo Paulo na sua carta aos Romanos, no capítulo 12 – versículo 2 nos previne a não nos conformarmos com este mundo. Nos alerta a que renovemos a nossa mente, através dos ensinamentos das Escrituras Sagradas, e que nos preparemos para receber a verdadeira vontade de Deus. E esta vontade segundo Paulo é boa – perfeita – agradável. Então entendamos que se o lugar que estamos hoje não contém estes três ingredientes divinos, não chegamos ao foco do que Deus nos prometeu. Isso significa que sem percebermos estamos estagnados só no que “é bom” ou “agradável” ou “ bom e agradável” porém não perfeito.

Podemos imaginar um Deus imperfeito de coisas imperfeitas e atitudes imperfeitas? Deus é perfeito digno da nossa total confiança. Confiança essa que nos levará a este fim: bom, perfeito e agradável.

Então ao invés de pararmos e ficarmos estagnados, continuemos sempre observamos os três itens e quando chegarmos então para que haja um fim excelente, testemunhemos que estamos vivendo O Bom, O Perfeito e O Agradável, afinal é exatamente isso que Deus deseja, e Canaã no caso era exatamente assim e a nossa também deve ser desta maneira, portanto, eia, suba, ande, continue já está para chegar. Não recue e nem estagne-se. Chegue onde Deus determinou a vitória, fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Estamos no Facebook