COLEÇÃO PORÇÃO DA PALAVRA – TER UM CORAÇÃO COMO O DE JESUS

 

Coração puro

 

E se por um dia Jesus fosse você?

E se, por vinte e quatro horas, Jesus acordasse em sua cama, calçasse seus sapatos e cumprisse a sua agenda. Seu chefe passasse a ser o chefe Dele, sua mãe, a mãe Dele, e suas dores se tornassem as dores Dele? Com exceção de uma coisa, nada em sua vida mudaria. Sua saúde continuaria a mesma, circunstância iguais, horários inalterados, problemas pendentes. Somente um detalhe modificado.

E se, durante um dia e uma noite Jesus vivesse a sua vida com o coração Dele? Seu coração ganhasse um dia de folga e sua vida fosse dirigida segundo o coração de Cristo?

As prioridades Dele governando suas ações. As paixões Dele guiando suas decisões. O amor de Jesus conduzindo seu comportamento. Como você seria? As pessoas notariam alguma mudança? Sua família – será que veriam algo novo? Seus colegas de trabalho sentiram a diferença? E os menos afortunados? Seriam tratados da mesma forma? E seus amigos? Perceberiam uma alegria maior? E quanto a seus inimigos? Receberiam mais misericórdia do coração de Jesus do que do seu?

 

E você? Como se sentiria? Que alterações esse transplante produziria em seu nível de estresse? Em suas mudanças de humor? Em seu temperamento? Você dormiria melhor? Veria o amanhecer de modo diferente? E a morte? E os impostos? Haveria alguma chance de você precisar menos de aspirinas e tranqüilizantes? E quanto as suas reações em congestionamentos no trânsito? (Toquei num nervo exposto certo?). Mais ainda, você continuaria com os mesmos hábitos? Você daria continuidade aos planos projetados para as próximas vinte e quatro horas? Pare e pense em sua agenda. Obrigações, reuniões, compromissos, passeios. Alguma coisa mudaria se Jesus tomasse o seu lugar?

Continue pensando nisso. Ajuste as lentes de sua imaginação até ter uma imagem clara de Jesus dirigindo sua vida, então tire a foto. O que você vê é o desejo de Deus. Ele quer que haja em nós “o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” (Filipenses 2:5).

O plano de Deus para você é nada menos do que um novo coração. Se você fosse um carro, Deus controlaria seu motor. Se fosse um computador, Deus controlaria seu software e o disco rígido. Caso fosse um avião, Ele se sentiria na cabine do piloto. Mas como você é uma pessoa, Deus quer trocar o seu coração.

 

“E vos renoveis no espírito do vosso sentido, e vos revistais do novo homem, que segundo Deus, é criado em verdadeira justiça e santidade” (Efésios 4:23-24).

 

Deus deseja que você seja assim como Jesus. Ele quer que você tenha um coração como o Dele. Deus o ama como você é. Se pensa que seu amor por você seria maior se sua fé também, não é verdade. Se acha que seu amor seria mais profundo se seus pensamentos também fossem assim, novo erra. Não confunda o amor de Deus com o amor humano. O amor humano sempre aumenta com o desempenho do outro e diminui com os erros. Isso não acontece com o amor de Deus. Ele o ama exatamente como você é.

 

Obs: Texto de um autor.

 

“O amor de Deus nunca cessa. Nunca. Mesmo que o rejeitemos, ignoremos, desprezemos ou lhe desobedeçamos. Ele não muda. Nosso mal não diminui seu amor. Nossa bondade não pode aumentá-lo. Nossa fé não pode conquistá-lo tanto quanto nossa estupidez pode comprometê-lo. Deus não nos amará menos se falharmos ou formos bem sucedidos. O amor de Deus nunca cessa.

 

Deus o ama como você é, mas se recusa a deixá-lo como está. Ele quer que você seja como Jesus. Essa não é uma boa notícia? Você não está fadado à realidade presente. Não está condenado a ser um resmungão. Mesmo com preocupações diárias você não precisa andar preocupado pelo resto de sua vida. E se você for uma pessoa intolerante? Não precisa achar que vai morrer desse jeito.

De onde veio a idéia de que não pode mudar? De onde provêm afirmações tais como: “minha natureza é ser uma pessoa preocupada” ou “sempre serei pessimista”. “Eu sou assim mesmo” ou “meu temperamento é ruim”. “Não consigo controlar minhas reações”? Quem disse? Será que faríamos as mesmas afirmações quanto a nossos corpos? “Faz parte da minha natureza ter uma perna quebrada”, “não posso fazer nada a respeito”. Certamente que não. Procuramos ajuda quando nossos corpos funcionam mal. Não deveríamos fazer o mesmo com os nossos corações? Não deveríamos buscar ajuda para nossas atitudes amargas? Não podemos requerer tratamento para nossas tiradas egoístas? Certamente que podemos. Jesus pode mudar nossos corações. Ele deseja que tenhamos um coração como o Seu. Dá para imaginar uma oferta melhor?

 

O coração de Jesus era puro. O Salvador era adorado por milhares de pessoas mas ainda assim contentava-se com uma vida simples. Ele recebeu o cuidado de mulheres (Lucas 8:1-3) e nunca foi acusado de ter pensamentos impuros; foi desprezado por aqueles a quem criara, mas mostrou-se disposto a perdoá-los antes mesmo que clamassem por misericórdia. Pedro, que viajou com Jesus 3 anos e meio, descreveu-o como “um cordeiro imaculado e incontaminado” ( I  Pedro 1:19).

Após sua convivência com Jesus, João concluiu: “e nele não há pecado” (I João 3:5). Jesus possuía um coração sereno. Os discípulos inquietavam-se sobre a necessidade de alimentar a muitos, mas Jesus não. Ele agradeceu a Deus pelo problema. Os discípulos gritaram de medo durante a tempestade. Jesus não. Ele dormiu o tempo todo. Pedro puxou sua espada para lutar com os soldados, mas Jesus não. Ele levantou sua mão para curar. Seu coração estava em paz. Quando seus discípulos o abandonaram, Ele ficou amuado e quis voltar para casa? Quando Pedro o negou, Jesus perdeu a paciência? Quando os soldados cuspiram em sua face, soprou fogo neles? Nem pensar. Ele estava em paz. Ele os perdoou. Recusou-se a ser guiado pela vingança.

Também recusou-se a ser dirigido por qualquer outra coisa que não fosse seu chamado supremo, havia um propósito em seu coração. A maioria das pessoas nada almejam em particular e é só isso que conseguem. Jesus possuía um único objetivo – salvar a humanidade dos seus pecados. Ele poderia resumir sua vida em uma única sentença: “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que havia perdido” (Lucas 19:10). Jesus estava tão concentrado em sua missão que soube quando dizer: “Ainda não é chegada a minha hora” (João 2:4) e também: “Está consumado” (João 19:30). Mas Ele não estava concentrado a ponto de se tornar inconveniente.

Ao contrário, como eram agradáveis seus pensamentos! As crianças não podiam resistir a Jesus. Ele encontrava beleza nos lírios, alegria na adoração e possibilidades nos problemas. Ele passava dias entre multidões de pessoas enfermas e ainda sentia misericórdia por elas. Ele passou mais de 3 décadas entre a sujeira e o lamaçal de nossos pecados e ainda assim enxergou beleza em nós a ponto de morrer por nossas transgressões.

Porém o maior atributo de Jesus era este: seu coração era espiritual, seus pensamentos refletiam um relacionamento íntimo com o Pai. “Crede-me que estou no Pai e o Pai está em mim”, afirmou Ele (João 14:11). Seu primeiro sermão tem início com as palavras: “O Espírito do Senhor é sobre mim” (Lucas 4:18). Ele foi conduzido pelo Espírito (Mateus 4:1) e “cheio do Espírito Santo” (Lucas 4:14). Ele retornou do deserto “pela virtude do Espírito” (Lucas 4:14).

Jesus recebeu suas instruções de Deus. Ele tinha o hábito de adorar (Lucas 4:16). Era sua prática memorizar as Escrituras (Lucas 4:4). Lucas diz que Jesus “retirava-se para os desertos e ali orava” (Lucas 5:16). Seus momentos de oração o orientavam. Certa vez, ao retornar de um período de oração, Ele anunciou que era tempo de ir para outra cidade (Marcos 1:38). Outro momento de oração resultou na escolha dos discípulos (Lucas 6:12-13). Jesus era guiado por uma mão invisível. “Porque tudo quanto Ele (Deus) faz, o filho faz igualmente” (João 5:19). No mesmo capítulo Ele afirma: “Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma; como ouço assim julgo”(João 5:30). O coração de Jesus era espiritual. Nossos corações parecem tão distantes do Dele. Ele é puro, somos gananciosos. Ele é pacificador, somos contenciosos. Ele tem um propósito, nós somos distraídos. Ele é agradável, somos irritantes. Ele é espiritual, somos materialistas. A distância entre nossos corações e o Dele parece imensa. Como podemos anelar ter o coração de Jesus?

 

Pronto para a surpresa? Você já tem. Você já possui o coração de Cristo. porque está olhando dessa forma? Eu mentiria para você? Se alguém está em Cristo, já possui o coração de Cristo. Uma das maiores, porém desapercebidas, promessas de Cristo [e esta: se você entrega sua vida a Jesus, Ele entrega-se a si mesmo por você. Ele faz de seu coração a sua própria casa. Seria difícil ser mais sucinto do que Paulo: “Cristo vive em mim” (Gal.2:20).

Jesus já habita em você. Ele já se mudou, desfez suas malas e está pronto para transformá-lo de “glória em glória, na mesma imagem como pelo Espírito do Senhor” (II Coríntios 3:18). Paulo explica isso com estas palavras: “Mas por estranho que pareça, nós cristãos possuímos efetivamente dentro de nós uma parcela dos próprios pensamentos e da mente de Cristo” (I Cor.2:16).

Estranha é a palavra! Se eu tenho a mente de Cristo, por que ainda penso tão como eu?

Se tenho o coração de Cristo por que ainda carrego as dificuldades do(a) _____________(seu nome). Se Jesus habita em mim por que ainda detesto os congestionamentos?

Muitos de nós estamos conectados em Deus, porém inalterados. Salvos, porém com o mesmo coração. Confiando em Cristo para a salvação, mas resistindo à transformação.

Nós ocasionalmente ligamos o interruptor, entretanto, na maior parte do tempo, optamos pelas sombras.

O que aconteceria se deixássemos as luzes ligadas? O que aconteceria se não apenas ligássemos a luz, mas vivêssemos na luz?

Que mudança ocorreriam caso persistíssemos na tarefa de descansar no esplendor de Cristo?

Não duvide: Cristo possui planos ambiciosos para nós. O mesmo que salvou a sua alma, anseia remodelar seu coração. Seu plano é nada menos do que uma total transformação: “… para serem conforme a imagem de seu Filho, a fim de que ele seja primogênito entre muitos irmãos” (Rom.8:29) “… e vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou” (Col.3:10).

 

Deus está pronto a moldar-nos à semelhança do Salvador. Devemos aceitar sua oferta? Eis minha sugestão: vamos imaginar o que significa ser simplesmente como Jesus. Vamos nos aprofundar no coração de Cristo. Vamos passar alguns capítulos considerando sua compaixão, refletindo sobre sua intimidade com o Pai, admirando seu foco central, ponderando acerca de sua paciência. Como Ele perdoou? Quando Ele orou? O que o fez tão agradável? Porque Ele não desistiu? Precisando estar “olhando para Jesus” (Hebreus 12:2). Talvez, ao vê-lo, possamos perceber em que podemos nos tornar.    ]

 

 

Questões

 

  • As pessoas notaram sua conversão?
  • Saber que tem que ser como Ele te constrange?
  • Tem dificuldade para buscá-Lo?
  • Quer alcançar Seu poder, coração, caráter?
  • Está disposto a mudar (por onde quer começar)?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Estamos no Facebook